quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Sarau de poesias para desbravar as rimas do escritor Elias José



Na biblioteca comunitária Elias José, no Complexo da Maré, o dia 25 de agosto é uma data para festejar o aniversário de nascimento do escritor Elias José, que dá nome a biblioteca. Esse ano, a biblioteca vai realizar um sarau de poesias  com livros do autor, que nasceu no interior de Minas Gerais e escreveu mais de cem livros para o público infantil. O escritor morreu em 2008, aos 72 anos. Foi também contista, romancista, poeta e autor de livros didáticos. Participe do sarau, nessa quinta (25/8), às 16h, na biblioteca e desbrave as palavras e rimas desse grande autor. 










Biblioteca Elias José
Avenida Guilherme Maxwell, nº 26 
Timbau -Maré-Rio de Janeiro - RJ 
CEP: 2104-212.
Telefone: (21) 3868-6748

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Biblioteca modifica o seu sistema de catalogação dos livros

A Biblioteca Comunitária Wagner Vinício, em Rio das Pedras, Zona Oeste do Rio está adotando outro sistema de catalogação para o seu acervo literário, criado pela Bibliotecária Cida Fernandes, do Centro de Cultura Luiz Freire. O sistema consiste em classificar os livros (gêneros literários) por cores. Assim cada gênero tem uma série de cores específicas. Com esse método, os frequentadores da biblioteca localizam o livro com mais facilidade e têm mais autonomia para desfrutar do acervo literário da Wagner Vinício.




segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Um dia de brincadeiras no Morro da Mangueira

A Biblioteca Comunitária Atelier das Palavras, da Associação Meninas e Mulheres do Morro, no Morro da Mangueira, também fazem atividades recreativas, como  jogos onlines. As crianças têm a oportunidade de jogar  nos computadores da Associação. Em duplas, as crianças escolhem um jogo e  podem se divertir. 






Um dia para experimentar a arte de escrever

No Dia Nacional do Escritor, 25 de julho, as crianças da biblioteca comunitária Elias José, no Complexo da Maré, criaram suas próprias histórias para poder vivenciar o papel  dos escritores. Essa atividade foi sugerida pelas próprias crianças que expressaram o desejo de escrever e sentir as emoções da produção de um texto. Os textos retratavam suas experiências pessoais, a família, a amizade, além de histórias que ouviram.“Foi muito bonito ver as crianças desenvolvendo suas próprias histórias” afirmou Marilene Nunes, coordenadora da biblioteca.






sábado, 16 de julho de 2016

Linguagem poética na formação do leitor


A poesia e o seu jogo poético é instrumento de estímulo para despertar nas crianças sensações visuais, auditivas, e comportamentais, além de instigar o olhar delas para a descoberta. A leitura de uma poesia compartilhada em voz alta ou lida individualmente propicia momentos de interação e de ludicidade. Em Rio das Pedras, Zona Oeste do Rio de Janeiro,os frequentadores da Biblioteca Wagner Vinicio tiveram a oportunidade de experimentar essas sensações e vivenciar com mais proximidade a palavra e a sonoridade de poesias. Foram lidos poemas de autores, como Ricardo Azevedo, Sérgio Caparelli, Henriqueta Lisboa e José Arrabal, com a atividade "Poesia e companhia". As crianças foram estimuladas também a ilustrar com desenhos suas percepções sobre os poemas. Foi um momento rico de perceber diferentes olhares e reflexões de um mesmo texto poético.





Texto de  Carlos Alberto Maia Honorato, mediador de leitura da Biblioteca Comunitária Wagner Vinicio 






domingo, 10 de julho de 2016

Mediação de leitura de encantar olhos e acordar desejos na Maré


A cada virar de páginas um encantamento e um despertar de sonhos. Na biblioteca comunitária Elias José, no Complexo da Maré, a mediação de leitura da história “As tranças de Bintou”, de Sylviane A Diouf fez com que os olhos ficassem abertos e ouvidos atentos, para conhecer a menina Bintou, que  sonhava em ter tranças longas como a de sua irmã mais velha. Além da ação de leitura, as crianças participaram de uma oficina para construir bonecas inspiradas pelo livro com retalhos de tecido. Durante o moldar das bonecas, o grupo compartilhou também entre si os sonhos que pulsam e inspiram a vida de cada um. 




sábado, 2 de julho de 2016

Crianças são mediadoras de leitura na Maré

A Biblioteca Comunitária Elias José, no Complexo da Maré, uma vez por semana tem mediação de leitura realizada por crianças que frequentam a biblioteca. Um dos que já vivenciou essa experiência foi o menino Gabriel com a mediação do conto “O ensopado de cobra” do livro "Contos e Lendas da Maré", que retrata histórias de antigos moradores. O conto descreve um bate papo de pescadores, em um bar da comunidade, falando sobre uma pescaria que rendeu em nenhum peixe, mas em uma grande cobra. "Foi o Gabriel que  mexendo na prateleira de contos decidiu ler esse livro, que também encontramos nas escolas no entorno da Maré. É lindo vermos nossas crianças leitoras e promovendo a leitura e com a leitura mantendo viva as histórias do seu território", afirmou Marilene Nunes coordenadora da Elias José. 


Contos e Lendas da Maré: um livro cheio de contos e
casos curiosos dos moradores





Biblioteca Elias José
Avenida Guilherme Maxwell, nº 26 
Timbau -Maré-Rio de Janeiro - RJ 
CEP: 2104-212.
Telefone: (21) 3868-6748

terça-feira, 28 de junho de 2016

Biblioteca faz ação com leitura e massinha de modelar


A Biblioteca Comunitária Atelier das Palavras, no Morro da Mangueira, fez uma ação de leitura livre para as  crianças escolherem um livro de acordo com seu gosto e de qualquer gênero literário. As crianças leram e depois dividiram  com os outros colegas em uma roda, o que entenderam da história, qual a parte do livro mais tinha se identificado e o que motivou cada um na escolha do livro. Depois foi realizado uma atividade com massinha de modelar para que as crianças desenvolvessem a criatividade, sua motricidade fina, para também que o grupo  representasse e expressasse suas vivências cotidianas. Com esta brincadeira trabalhamos formas, evidenciamos sentimentos combinações e movimentos permitindo que a criança seja desafiada a cada orientação do mediador.




Desenhando e representando sentimentos e experiências 










segunda-feira, 27 de junho de 2016

A biblioteca é um espaço democrático e para a construção de sentidos


A biblioteca é um ambiente que oferta o real e metafórico, onde o indivíduo se sente  protegido para ir e vir livremente de acordo com a sua vontade. É também um espaço democrático que proporciona a pessoa se apropriar e provar de objetos culturais. Por isso, se faz primordial a inserção de indivíduos em ambientes que ofertem a literatura para a construção de suas identidades. A leitura literária é uma arma perturbadora que permite as pessoas entenderem as formas de organização social. A literatura se perpetua como resistência, fazendo com que indivíduos imaginem outras possibilidades e sonhos, enxergando com mais clareza os processos de exclusão no qual estão inseridos. Além disso, a leitura ocasiona que a pessoa tenha as rédeas de suas próprias vidas, protagonizando assim mudanças internas e pessoais, para também inferir nas mudanças do seu entorno e da sociedade. 



Crianças  na biblioteca 
Wagner Vinicio




Texto de  Carlos Alberto Maia Honorato, mediador de leitura da Biblioteca Comunitária Wagner Vinicio 


Conheça a história de Carlos Honorato: Um menino que ganhou asas com a literatura 


domingo, 19 de junho de 2016

Biblioteca faz mediação de leitura para adolescentes em Rio das Pedras

Envolvidos pelo pensamento do poeta Mário Quintana, de que “livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas", a equipe da Biblioteca Comunitária Wagner Vinicio vem se mobilizando e articulando para que mais pessoas possam se envolver com a literatura e transformar suas trajetórias de vida.

Em 2015, a biblioteca comunitária teve a ideia de realizar uma ação no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Cidadania em Rio das Pedras, em razão do CRAS ter um público de adolescentes e jovens oriundos da rede pública de ensino, com alguma aproximação pela leitura literária.

“Planejamos uma ação de formação para os educadores sociais que atuam diretamente com os adolescentes e jovens. Ocorreram alguns encontros de formação no CRAS e depois uma visita à nossa biblioteca. Era nítido o entusiasmo e alegria tanto da equipe dos educadores e dos adolescentes pelas ações de mediação de leitura realizadas naquele período,” afirmou Luzia De Seta, gestora da biblioteca.


Esse ano a  biblioteca retornou com as  atividades de mediação de leitura no CRAS. Novamente as ações tiveram uma maciça participação, com entusiasmo, interesse e um desejo de quero mais. "Essas ações da biblioteca com o CRAS e esses jovens representa o potencial da integração de políticas públicas de Assistência Social, da Educação e  da Cultura com a do Livro, Leitura e Bibliotecas para mudarmos  as histórias das pessoas e das cidades” afirmou Luzia.



Carlos Honorato, mediador de leitura da biblioteca,
fez uma ação de leitura 
em parceria com o CRAS 
no CIEP Roberto da Silveira